Projeto Olakunde Circula nas Escolas do Vale

0
548

O projeto Olakunde “O valoroso chegou” levará às escolas, nos dias 2, 10 e 16 de março, reflexões sobre as questões inerentes à negritude. A iniciativa circula em formato on-line por escolas de Blumenau, Gaspar e Balneário Piçarras. Serão seis bate-papos gratuitos com a professora e empreendedora educacional Shirlei Fabiana Silva.

A ação é voltada aos alunos e professores das instituições. “O projeto pretende, por meio de ações de cunho sócio-político-cultural-educacional, aguçar as discussões e reflexões sobre as questões inerentes à negritude”, explica a educadora, também conhecida como Negrita. “Desta forma procuramos contribuir para a construção de uma sociedade antirracista”.

Shirlei conta que a ideia surgiu pela vontade de legitimar a Lei 10.639/03, que torna obrigatório o ensino da história e cultura afro-brasileira e africana em todas as escolas públicas e particulares, do ensino fundamental até o ensino médio. “O Olakunde é atravessado por três pilares: pós-abolição, racismo estrutural e a transformação de uma sociedade antirracista, ele é uma oportunidade para todos se conscientizarem da verdadeira história de resistência e luta do povo africano, afro-brasileiro, desmistificando questões sobre os ‘heroísmos europeus”, conta.

O nome do projeto, Olakunde, é uma palavra de origem yorubá/nigeriana que significa “O Valoroso Chegou”. “Em Santa Catarina, que se orgulha da sua ‘origem’ europeia, 15% de sua população se declara preta e parda. Blumenau, dita a cidade mais “alemã” do Brasil, é constituída por 10% desta população, segundo o censo do IBGE de 2010”, diz ela.

O Projeto Olakunde “O valoroso chegou” é viabilizado com recursos da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc (Lei nº 14.017/2020) no município de Blumenau. O projeto também foi selecionado pelo projeto REDES, Divulgação como Mecanismo de Cultura; de Nane Pereira Comunicação e Arte, também viabilizado pelo mesmo edital.

Mais informações:

Projeto: Olakunde “O valoroso chegou”
Tema: Reflexões sobre questões inerentes à negritude
Autora: professora Shirlei Fabiana Silva

Cronograma

2 de março: EJA Piçarras, às 19h30 – Balneário Piçarras
10 de março: Escola Municipal Felipe Shimidt, às 10h e às 14h – Blumenau
16 de março: E.E.B. Professor Honório Miranda, às 10h, 14h e 19h3 – Gaspar

Formato: seis bate-papos on-line em escolas públicas do Vale do Itajaí
Plataforma: Google Meet, de forma gratuita voltada a alunos e professores
Duração de cada live: 60 minutos

Fonte: Fundação Cultural de Blumenau

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here