Museu Hering Reabre com Novas Exposições

0
1186

A equipe do Museu Hering não parou de trabalhar durante a pandemia. Os colaboradores aproveitaram o fechamento do espaço por causa da covid-19 para providenciar uma reforma no centenário e histórico imóvel e preparar uma nova exposição de longa permanência no museu.

A anterior, “Tempo ao Tempo”, ficou em cartaz por 10 anos, desde a inauguração do espaço em 2010. Agora a história da Cia. Hering está sendo contada por novas fotos, documentos e outros elementos como vídeos, materiais publicitários e de marketing que compõem a exposição “Um Novo Tempo”. São duas as principais linhas de memórias: a relação da empresa com os colaboradores e, por consequência, com a comunidade e a história da camiseta como suporte para transformações sociais ao longo das décadas.

No primeiro momento da exposição o visitante assiste a um vídeo que funciona como um preparativo para o que será visto a seguir. Em seguida uma série de fotos e documentos dão destaque à participação da mulher no cotidiano da empresa, às transformações da sede no bairro Bom Retiro e a manifestações da sociedade em torno da marca dos dois peixinhos.

O antigo tear da exposição anterior segue exposto em local de destaque. Também há camisetas com mais de 50 anos e outras que serviram de veículo para mensagens e causas sociais. Uma boa parte da exposição é dedicada à importância da camiseta como peça democrática e que ainda serve de estandarte para os mais diversos movimentos.

Outra característica importante da exposição é o destaque ao papel da arquitetura e do paisagismo na concepção da empresa como a conhecemos hoje. Há desenhos originais do projeto dos jardins suspensos de Burle Marx e fotos da construção da sede projetada pelo arquiteto Hans Broos.

Integração com a comunidade

No subsolo há um espaço para exposições temporárias e outro para atividades, como oficinas e outras práticas. A ideia é integrar cada vez mais a comunidade com o museu. No espaço de exposições temporárias é possível ver peças do Trama Afetiva, iniciativa da Fundação Hermann Hering, mantenedora do museu, para repensar o consumo e incentivar a reflexão em torno dos padrões sociais vigentes.

Ao longo desses pouco mais de 10 anos de história o Museu Hering já recebeu mais de 162 mil visitantes, entre turistas, estudantes e moradores da cidade. A transformação do espaço teve apoio da Lei de Incentivo à Cultura do governo federal.

Devido às restrições impostas pelo governo estadual para diminuir a proliferação do novo coronavírus, o Museu Hering funciona de segunda a sábado, das 10h às 16h com limite de pessoas ao mesmo tempo nos espaços. Para mais informações ligue para 3321-3340.

Fonte: Pancho

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here